Predisposição do prefeito em disputar eleição já teria abalado relação com senador Weverton Rocha

Rumores dão conta de que o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, está disposto a entrar na disputa pela sucessão do governador Flávio Dino. Aliados próximos ao prefeito enxergam na arrancada administrativa dos dois últimos anos uma forma de se cacifar em relação ao eleitorado e desencadear um movimento que tornasse inevitável sua indicação pelo governador do estado.

Os aliados de Edivaldo acreditam que o sucesso na reta final da gestão, somados a lealdade indiscutível do prefeito ao governador comunista, são o suficiente para que o prefeito seja o nome do grupo governista em 2022.

Além do choque de obras em São Luís, Edivaldo pretende andar pelo interior do estado e torna-se mais conhecido do eleitorado do resto do estado. Para isso, espero atingir níveis de aprovação em São Luís que transitem na casa dos 60% até o fim do seu mandato.

A movimentação de Edivaldo, pelo menos aparentemente, o colocou em rota de colisão com o senador Weverton Rocha, correligionário de Edivaldo Holanda Jr e também postulante ao cargo de governador em 2022.

A ausência de Edivaldo Holanda Jr na festa de lançamento da campanha de Jota Pinto em São José de Ribamar, bem como o voo solo na série de inaugurações que vem promovendo e recentes ataques do Sistema Difusora, alinhado a Weverton Rocha, dão a entender que a relação entre os dois se não é de rompimento, pelo menos está estremecida.

O fato é que a entrada de Edivaldo Holanda Jr na corrida pelo Palácio dos Leões em 2022 deixa muito delicada a situação de Weverton Rocha e do vice-governador Carlos Brandão, que também pretende ser candidato.

Ao contrário dos dois, Edivaldo é o único que poderia, livremente, filiar-se ao partido do governador Flávio Dino. E isso, em se tratando de comunismo, conta muito.