Apesar do falatório petista e da extrema imprensa, governo de Jair Bolsonaro segue limpando máquina pública da praga chamada corrupção

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, exonerou, nesta sexta (14), Paulo Roberto de Mendonça e Paula. Ele foi o responsável por assinar um contrato de R$ 7 milhões com uma empresa de tecnologia suspeita de ser usada como laranja para desviar dinheiro dos cofres públicos.

A saída de Mendonça do cargo de subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração aconteceu a pedido dele, segundo publicação no Diário Oficial da União. 

O contrato com o ministério da Cidadania foi assinado em 19 de julho de 2019. Na época, Mendonça era subsecretário de Assuntos Administrativos da pasta.