Entrevistado da edição #31 do na Real, deputado não fugiu de perguntas incômodas e esbanjou simpatia

Dando sequência à série de entrevistas com pré-candidatos ao cargo de prefeito de São Luis nas eleições deste ano, o entrevistado desta semana foi o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) participou do programa Na Real.

Em uma postura completamente incomum em se tratando de políticos, Wellington do Curso respondeu a todas as questões, principalmente as mais incômodas, de forma altiva e bem-humorada.

Wellington foi questionado sobre sua suposta situação financeira ruim; foi lembrado de sua atuação ruim nos debates das eleições de 2016; foi confrontado com a situação de seu partido. Até mesmo a pergunta de um internauta sobre um show de Wesley Safadão, em caso de vitória, foi feita por um internauta. E Wellington? Agiu com civilidade incomuns a membros de uma classe que se acham superiores.

Muito bom seria se os seus pares seguissem o seu exemplo e sempre respeitassem o trabalho da imprensa SÉRIA.

Em um estado onde o governador sente-se à vontade ao perseguir e infernizar a vida da imprensa que não lhe é subserviente, a atitude de Wellington do Curso é um estandarte que demarca inquestionavelmente a diferença entre ambos.

Wellington não ficou agiu mal acima de tudo por seu caráter, mas também pela certeza de que ali não se pretendia derrubá-lo ou confrontá-lo. O Na Real é um programa jornalístico e, enquanto tal, evidentemente vez ou outra será incômodo.

Parabéns ao deputado Wellington do Curso e que os próximos entrevistados tragam consigo a mesma energia positiva.

Já minhas impressões sobre a entrevista são as seguintes: Wellington continua sendo um políticos mais autênticos do estado. O que sobra-lhe em caráter e simpatia, falta em traquejo político e malícia. Talvez as duas coisas sejam até incompetíveis aos mais pessimistas.

Sem dúvida alguma é um dos bons nomes que irão se apresentar ao eleitorado de São Luís nas eleições de 2020.