. “Os noticiantes não trouxeram aos autos indícios mínimos da ocorrência de ilícito criminal”, disse Ministério Público

O Ministério Público Federal não identificou “indícios mínimos” de obstrução de Justiça Jair Bolsonaro, e do filho dele, Carlos Bolsonaro, envolvendo a investigação do assassinato da vereadora do Rio, Marielle Franco.

Em documento apresentado na sexta (29) ao STF, Aras se manifestou contra pedidos do PT e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), para que os dois fossem investigados pelo acesso a dados da portaria do condomínio onde ambos têm casa.

O MPF afirmou que as acusações foram feitas sem provas. “Os noticiantes não trouxeram aos autos indícios mínimos da ocorrência de ilícito criminal”.

A gravação do áudio pelo vereador Carlos Bolsonaro também foi vista normal.

“O fato de um condômino ter o eventual acesso a cópias dos áudios da portaria do local onde reside consiste em mero exercício de direito, na medida em que possui o domínio ou posse – embora não exclusivamente – sobre os bens de uso comum.”