Governador manobrou para que desgaste com reforma fosse diluído e também atingisse parlamentares da base aliada

Há poucas semanas os deputados estaduais maranhenses foram surpreendidos por uma proposta de reforma relâmpago da previdência no Maranhão. O governo justificou a manobra afirmando que a medida era uma imposição do governo federal. Dessa forma, era imperativo que os parlamentares aprovassem o projeto em tempo recorde, o que aconteceu. Pois bem, Flávio Dino mentiu para os deputados.

O Ministério da Economia publicou na quarta (4) uma portaria que regulamenta a aplicação nos estados das alíquotas definidas na reforma promulgada pelo Congresso em novembro. Os estados terão até 31 de julho de 2020 para promover o ajuste nas alíquotas. Ao contrário do que disse Flávio Dino, o prazo é elástico e possibilitaria um debate amplo sobre a reforma do sistema previdenciário no estado.

Comandados e alinhados ao governador, vários sindicatos trataram de colocar a responsabilidade pela aprovação da reforma relâmpago. No mesmo dia já eram divulgados cards em grupos de whatsapp imagens dos deputados que aprovaram a reforma com base na justificativa falsa de Flávio Dino.

No ano que vem, período de eleições municipais, é muito provável que alguns dos parlamentares que votaram pela aprovação relâmpago da reforma sejam assombrados pela decisão. Algo que poderia muito bem ser evitado se o governador não tivesse mentido para os deputados.

Sabedor que sua imagem seria arranhada, Flávio Dino preferiu “compartilhar” o desgaste com sua base aliada. Esse é o vosso líder…