Valores para sair ou entrar em São Félix de Balsas varia de R$ 1,63 a 280,00

Moradores clamam por uma ponte de 80 metros sobre o Rio Balsas, o que acabaria com o sofrimento da população do município.

“Talvez nossa cidade seja a única do Maranhão onde se paga pra entrar e também para sair” declarou o vereador Júnior Cardoso (Democratas). O Político se refere à pequena cidade de São Felix de Balsas, de 4.585 habitantes. Localizada na região sul do Estado, é uma cidade de forte influência agropecuária.

Vereador Junior Cardoso lamenta as inúmeras promessas de que a ponte viria

 O parlamentar informou que é vereador há quatro mandatos e que o sonho e a luta pela construção de uma ponte sobre o Rio Balsas, para libertar a população do sofrimento, é antiga. Segundo ele, “por diversas vezes sugiram promessas de que a Ponte do São Félix iria sair, o que, para frustração da população, nunca aconteceu”, informou.

O único acesso à sede do município de São Félix, localizada às margens do Rio Balsas, e feito por meio de um “pontão”. O menor preço para a travessia, cobrado pela prestadora do serviço, é de R$ 1, 63 (pedestre) e o maior R$ 280,00 (carreta de três eixos). 

O farmacêutico Antônio Martins, que mora em Balsas, mas trabalha há três anos em São Felix, diz que chega a gastar mais de 200 reais por mês na travessia. Para economizar, trocou o carro pela moto. “Quem não tem dinheiro não consegue sair da cidade. Até hoje a ponte foi só promessa. Espero que um dia isso tudo acabe” completou.

A travessia não demora mais do que três minutos. De tão curta, que é a distância, a Balsa nem utiliza reboque. Presa a um cabo de aço, é puxada pelos operadores do equipamento (de aproximadamente 50 metros), que usam a correnteza e a gravidade para chegar até a outra margem.

O vereador Júnior Cardoso mostrou indignação com a situação: “é uma situação que, além de constrangedora, tem ao longo dos anos inibido o crescimento e o desenvolvimento do município.  Se essa tão prometida ponte fosse feita, não tenho a menor dúvida de que nossa realidade hoje seria outra”, comentou o político.

O pequeno produtor rural Diego Martins confirma as palavras do vereador. “Ninguém quer investir aqui por causa disso. Quem aparece por aqui acaba desistindo. Em meio a tantos problemas, esse do isolamento é o que mais nos afeta. E ainda temos, por ironia, a questão da falta de água”, lamentou Diego Martins. “…quem sabe, não aparece um político de influência nacional que nos liberte desses sofrimentos. Ainda temos esperança”, finalizou.

Falta de água

A ironia a qual se referiu Diego Martins é porque São Felix de Balsas fica às margens de um rio perene, que abasteceria facilmente a população. O problema é que a estrutura montada pela Companhia de Saneamento do Maranhão é insuficiente para atender à demanda, a ponto de a Justiça ter proibido a companhia de continuar a cobrar por seus serviços.

Para não ficar sem água, a população tem improvisado com a instalação bombas de sucção às margens do rio. As instalações precárias já resultaram em, pelo menos, duas mortes por descarga elétrica.

“Estamos assim, abandonados, aguardando alguma autoridade maior que olhe por nós, nos liberte dessa situação”, clamou o vereador Júnior Cardoso.