O Instituto Renascer, um dos alvos da Polícia Civil e do Gaeco no bojo da Operação Faz de Conta, deflagrada hoje (saiba mais), tornou-se entidade de utilidade pública a partir de uma proposta do vereador Honorato Fernandes (PT).

O Instituto Renascer, um dos alvos da Polícia Civil e do Gaeco no bojo da Operação Faz de Conta, deflagrada hoje (saiba mais), tornou-se entidade de utilidade pública a partir de uma proposta do vereador Honorato Fernandes (PT).

Esta é uma das condições para que entidades ditas sem fins lucrativos pleiteiem o chamado Atestado de Existência e Regular Funcionamento, o que lhes garante firmar convênios com o Município, para receber recursos de emendas parlamentares.