Congresso chileno reage a protestos esquerdistas com populismo legislativo

A Câmara do Chile aprovou ontem, por unanimidade, projeto de lei que vai reduzir pela metade para reduzir a remuneração de senadores, deputados, ministros, governadores e do presidente.

O projeto, que foi aprovado por todos os 150 deputados chilenos, ainda precisa ser votado no Senado.

Caso seja aprovada, a lei deve ser implantada em até 60 dias. Durante os próximos dois meses, uma comissão irá decidir os futuros salários dos políticos chilenos.

A medida foi tomada em resposta aos protestos contra o presidente Sebastián Piñera, que se espalham pelo país há mais de 40 dias.

O Parlamento também estuda a implementação de uma lei que aumenta o valor das aposentadorias de até 1,5 milhão de pessoas, também por 50%.