Presidente Jair Bolsonaro extinguiu EMBRATUR. Mesmo sem nenhuma experiência ou estudos no setor, comunista presidiu a empresa pública em 2011

Jair Bolsonaro decidiu extinguir a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e substituir a instituição pela Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo. A nova agência deixará de ser um cabide de empregos vinculado ao Ministério do Turismo. A estrutura funcionará como serviço social autônomo e terá aumento de orçamento

Uma das provas da natureza desonrosa da Embratur pode ser esclarecida pela passagem de Flávio Dino pela instituição. Derrotado em 2010, sem nenhum tipo de histórico no setor do turismo, Flávio Dino foi conduzido à presidência da Embratur pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2011. A inexistência de experiência e completa falta de traquejo administrativo renderam a Dino uma passagem apagada pela empresa.

Além de servir de boquinha a Flávio Dino, a presidência da Embratur foi ocupada por João Doria (PSDB). Ao sair, Doria respondeu processo do TCU devido às contas prestadas pelo instituto.