Jair Bolsonaro sob ataques na mídia e na política

Jair Bolsonaro, respondeu, na noite desta terça (29), à reportagem da Rede Globo que envolveu o presidente no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista dela, Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018.

O caso caiu como uma bomba na política nacional, mesmo trazendo uma série de incoerências.

A primeira delas foi: Jair Bolsonaro não estava no Rio de Janeiro no dia da visita do acusado de assassinar a vereadora ao condomínio. Por duas vezes o porteiro diz, em seu depoimento, falar com Jair Bolsonaro. DUAS VEZES.

Segundo: Segundo o Jornal Nacional Dias Toffoli recebeu membros do Ministério Público do Rio de Janeiro, que foram consultá-lo sobre o envolvimento de Jair Bolsonaro no caso de Marielle Franco. A Segunda Turma do STF pretende anular o processo de Lula na Lava Jato justamente por Sergio Moro ter mantido conversas com procuradores da operação.

Terceiro: causa estranheza que a reportagem da Rede Globo seja divulgada poucos dias após Jair Bolsonaro tocar no assunto concessão da emissora. Em 2022 a Rede Globo irá ter que ter o seu direito de transmissão avaliado pelo governo de Jair Bolsonaro.

Quarto: a veiculação da reportagem se deu um um momento muito propício para causar instabilidade política. Na ausência do presidente e às vésperas de seu retorno ao Brasil. Ao retornar ao país, o presidente será envolto em fogo cruzado. A Globo só não contava com a reação imediata de Jair Bolsonaro nas redes sociais.

O presidente Bolsonaro reagiu:

“Vocês, TV Globo, o tempo inteiro infernizam a minha vida, porra! […] Agora, Marielle Franco, querem empurrar pra cima de mim? Patifes, canalhas, não vai colar! Não devo nada a ninguém.”

Jair Bolsonaro acusou a Rede Globo de conspirar contra o país com por não gozar mais de privilégios junto ao Governo Federal.

“Vocês querem arrebentar com o Brasil. Estava muito bem com governos anteriores, mamavam bilhões de estatais. Acabou a teta, não tem dinheiro mais público para vocês.”