Bancada maranhense sob ataque do governo estadual

O Maranhão tem direito a cerca de R$ 200 milhões de emendas de bancada para o estado. A destinação dos recursos deve ser decidida pelos três senadores e 18 deputados federais. Na história recente do Maranhão nunca aconteceu qualquer tipo de movimentação que colocasse em risco a alocação dos recursos, isso até Flávio Dino chegar ao poder. Em uma tentativa de empurrar goela abaixo de 8 deputados de oposição seus caprichos, o governador e seus aliados tentam empurrar uma proposta que não foi sequer debatida pela bancada em sua totalidade.

O desrespeito do governador com os parlamentares foi além, muito além. Sabedores de que os parlamentares não iriam aceitar serem tratados como bobões e não assinariam a proposta, o grupo do governador divulgou a notícia de que eles estariam “prejudicando o Maranhão” ao travar o processo de alocação dos recursos.

A relação entre os deputados federais, independente de posição política, sempre foi amistosa e cordial. Os debates acalorados e a rivalidade política nunca foi empecilho para uma bancada unida e ciente de suas obrigações. E a maior obrigações de todas é a PALAVRA que o grupo de Flávio Dino tenta jogar no lixo.

O estopim para a campanha de desinformação foi a perda do prazo pela bancada para protocolar a proposta na Comissão Mista de Orçamento.

Candidato líder nas intenções de voto, o deputado federal Eduardo Braide está entre as vítimas da manobra governista para queimar reputações e fazer valer sua posição unilateralmente.

A narrativa de que o “Maranhão pode sair prejudicado” está sendo usada diuturnamente para pressionar a oposição. Pois bem, prejudicado o Maranhão será se os deputados se acovardarem e fazerem chegar a Brasília o desprezo que Flávio Dino tem pelo Legislativo. RESISTAM!