Linhares Jr.

Menos fraudes

Por que Jair Bolsonaro acabou com o Dpvat?

Corrupção no seguro tirou R$ 5 bilhões dos proprietários de veículos e foi parar no bolso de fraudadores
Continuar lendo
Assista

Na Real #23

Na Real #23

Posted by Blog do Gilberto Léda on Monday, November 11, 2019
Sem novidades

Ex-presidente condenado defendeu assaltantes em discurso

Coragem!

Saída de Bolsonaro do PSL é tapa na cara de críticos

Presidente abre mão de quase R$ 400 milhões de fundo partidário para fundar partido limpo. Nova sigla deve disputar eleições de 2020 sem fundo eleitoral e sem tempo de televisão.
Continuar lendo
Economia

Governo Bolsonaro quer fim de privilégios que custam R$ 4 bilhões/ano ao país

Férias de 60 dias dão prejuízo bilionário e entram na mira do enxugamento proposto pelo governo federal
Continuar lendo
Ele não desiste

Duarte Jr tenta passar imagem de “bom moço” em evento comunista

Deputado lançou mão em estratégia de discursos que divergem de sua atuação no mundo real
Continuar lendo

Corrupção

Secretário de saúde do MA é acusado de desviar dinheiro público

Mesmo após série de denúncias de desvios, secretário Carlos Lula é mantido no cargo pelo governador Flávio Dino
Continuar lendo
Um pouco de humor

O dedo de Toffoli

Caiu

Evo Morales renuncia à presidência da Bolívia

Evo Morales renunciou neste domingo (10) ao cargo de presidente da Bolívia, após uma escalada nas tensões no país.

O anúncio foi feito em rede nacional, pela televisão.

Morales havia dito, mais cedo neste domingo, que convocaria novas eleições, após a Organização dos Estados Americanos, OEA, divulgar que as eleições de 20 de outubro haviam sido fraudadas.

Pouco antes da renúncia, os chefes das Forças Armadas e da Polícia, além da oposição, haviam pedido que Evo Morales deixasse o cargo para “pacificar” o país.

Nas últimas horas, ao menos três ministros também entregaram seus cargos.

Manifestantes tomam as ruas de La Paz para denunciar ‘fraude eleitoral’ nesta sexta-feira (25) após apuração indicar vitória de Evo Morales nas eleições presidenciais da Bolívia.

A crise na Bolívia tomou maiores proporções após as eleições de 20 de outubro, quando Evo foi reeleito em primeiro turno.

Na época, o órgão responsável por computar os votos apontou o seguinte resultado final:

  • Evo Morales: 47,07% dos votos
  • Carlos Mesa: 36,51%

Como a diferença entre Morales e Mesa foi de mais de 10 pontos percentuais, o atual presidente foi reeleito para seu quarto mandato.

O resultado foi contestado pela oposição e, no dia 30 de outubro, a Bolívia e a OEA concordaram em realizar uma auditoria.

Antes desses números serem publicados houve uma indefinição: inicialmente, havia um método mais rápido e preliminar de apuração, e um outro, definitivo e mais lento, onde se conta voto a voto. Os números dessas duas contagens começaram a divergir, e a apuração mais rápida, que indicava que haveria um segundo turno, foi suspensa.

Desde que Evo ganhou, a oposição tem ido às ruas em protestos. A polícia parou de reprimir as manifestações, e houve motins em quartéis do país.

Na sexta (8) e no sábado (9) policiais bolivianos se amotinaram. O governo respondeu com um comunicado no qual denunciava um plano de golpe de estado.

Podcast

Giro Político #8

Um resumo das principais notícias da semana

Debate

Crimes bárbaros de jovens e adolescentes são reflexo do abandono afetivo

Discussões sobre maioridade penal devem levar em consideração estruturação familiar
Continuar lendo