Linhares Jr.

Por que?

Apenas 5 estados reduziram leitos de Covid de dezembro a janeiro

Maranhão teve a segunda maior perda e tem uma das menores proporções de leitos para cada 100 mil habitantes

Maranhão, Ceará, Piauí, Bahia e Rio Grande do Norte reduziram o número de leitos de UTI contra a Covid de dezembro para janeiro. Os dados são da ONG Impulso Gov e foram divulgados em primeira mão por Época

O Maranhão teve a segunda maior queda entre todos os estados. A queda foi de 3,8% de dezembro de 2020 para janeiro de 2021, quando a proporção ficou em 5,8 leitos de UTI para Covid a cada cem mil habitantes.

No Ceará, a redução desses leitos foi de 5,7%, chegando à taxa de 6,4 leitos a cada cem mil habitantes.

O Piauí perdeu apenas 0,9% desses leitos no período, chegando à taxa de 9,8 leitos por cem mil habitantes. A Bahia perdeu 0,74% e ficou com 9 leitos por cem mil habitantes.

O Rio Grande do Norte teve a menor redução entre todos, alcançando 0,28%. O estado ainda conta com a melhor marca de leitos de Covid por cem mil habitantes, chegando a 10,2.

Áudio

A musa do lockdown e as medidas anti-Covid de Flávio Dino

Tem que ser preso

Após ameaçar deputados, Danilo Gentili se acovarda e pede desculpas

Episódio revela que humorista só tem “coragem” para atacar alvos fáceis e que sua “valentia” era limitada. Quem tem vergonha vai torcer para que Alexandre de Moraes decrete sua prisão.

Após solicitar que a população agredisse todos os deputados da Câmara Federal, o sempre tão valente e indecoroso comediante Danilo Gentili abaixou o tom e decidiu pedir desculpas. Acontece que em publicação na semana passada o comediante afirmou que “só acreditaria no país” se a população invadisse a Câmara Federal e “socasse todo deputado” que discutia a PEC da Imunidade Parlamentar. Após ser ameaçado de prisão, Gentili apagou a publicação, assumiu o erro e pediu desculpas.

Note-se bem: o comediante não restringiu suas ameaças aos deputados que defendem a PEC, mas todos os que discutem a proposta. Dessa forma, é evidente que sua ameaça se expande a todos os deputados da casa, uma vez que a matéria é de interesse geral.

O fato comprova que a coragem sempre tão propagada de Danilo Gentili tem limites. Acostumado a ridicularizar outsiders da política como Maria do Rosário e o próprio Jair Bolsonaro, o humorista recuou ao perceber que ir além disso poderia render-lhe problemas maiores do que o pagamento de indenizações.

Além do mais, Gentili comemorou em silêncio o fechamento do Terça Livre e a prisão de Daniel Silveira, entre outras atitudes de desrespeito à liberdade de expressão. Sua prisão seria uma dessas ironias belas da vida. Mesmo sabendo saber injusta, eu torço por ela por questões morais.

De qualquer forma o humorista já se ferrou nessa. Nunca mais falará nada sobre Câmara e STF. Sua “coragem” vai sobrar apenas para os “minions” e a família Bolsonaro.

Danilo Gentili é um covarde que fez fama vendendo a imagem de corajoso.

Municipalismo

Famem recomenda adoção de medidas restritivas e acelerar vacinação contra Covid-19

A recomendação da Famem conclui alertando os gestores Municipais a tomarem todas as medidas cabíveis para diminuir o impacto na saúde pública maranhense e salvaguardar a vidas dos munícipes

A Famem editou nesta quarta-feira, 3, documento recomendando aos prefeitos e prefeitas do Estado que adotem medidas restritivas para conter a evolução da pandemia no novo coronavírus no estado. Segundo consideração do documento, com o aparecimento de novas variantes virais, devido às incertezas que elas trazem, há eminente risco de colapso das redes de saúde pública e privada.

“Os municípios devem adotar no período de 5 a 14 de março medidas como a suspensão absoluta de festas, shows e eventos, limitar o horário de funcionamento do comércio entre 9 e 21 horas; suspender as atividades presenciais de universidades e escolas públicas e privadas, bem como os serviços das repartições públicas, e fiscalizar com rigor o cumprimento das medidas”, ressalta a recomendação da Famem.

Em pronunciamento o governador Flávio Dino condicionou a distribuição do doses do novo lote de vacinas da Coronavac ao índice de vacinação contra Covid-19 imprimido pelos municípios no estado do Maranhão.

Segundo Flávio Dino, ainda durante o anúncio de novas medidas restritivas, para conter o avanço da pandemia no estado, municípios que ainda não aplicaram 60% das doses recebidas não irão receber imunizantes até atingir a meta. O Estado do Maranhão recebeu mais um lote de vacinas da Coronavac. Desta vez foram 62 mil doses recebidas.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde o Maranhão já recebeu 359. 249 doses, sendo 139.050 coronavac e 98 imunizantes da Astrazeneca. O percentual de cobertura no Maranhão hoje é de 61, 48%.

De acordo com o Plano Estadual de Vacinação compete à gestão municipal a coordenação e a execução das ações de vacinação elencadas pelo Plano Nacional de Imunização, incluindo a vacinação de rotina, as estratégias especiais (como campanhas e vacinações de bloqueio) e a notificação e investigação de eventos adversos e óbitos temporalmente associados à vacinação.

A recomendação da Famem conclui alertando os gestores Municipais a tomarem todas as medidas cabíveis para diminuir o impacto na saúde pública maranhense e salvaguardar a vidas dos munícipes, em observância as determinações contidas nos Decretos do Governo do Estado, bem como as peculiaridades do município e respectiva região. È também de responsabilidade dos municípios a gestão do sistema de informação do PNI.

Vereador de São Luís quer impedir fechamento de templos e igrejas na pandemia

Marquinhos quer impedir que quaisquer estabelecimentos religiosos sofram sanções governamentais durante a pandemia.

O vereador Marquinhos (DEM) saiu em defesa da abertura de templos religiosos durante a pandemia. Segundo o vereador, nesse momento de crise o amparo religioso não pode ser impedido.

“A religião, seja ela qual for, vai trazer o consolo necessário, o conforto espiritual e o apoio psicológico para esse momento difícil”, disse.

Apesar da defesa, Marquinhos observou a necessidade da garantia do funcionamento dos templos mediante cumprimento das exigências sanitárias determinadas pelas autoridades, como medidas de distanciamento e limitação de público.

Para Marquinhos, as igrejas precisam permanecer funcionando para poder continuar oferecendo apoio físico e emocional para as pessoas neste momento delicado.

“Muitas pessoas encontram na fé, a força para atravessar esse momento conturbado e nós precisamos garantir esse direto ao culto, assegurado pela Constituição, e à manifestação da fé, desde que, obviamente, sejam observadas todas as exigências sanitárias estabelecidas pelas autoridades. Por isso entendo que as igrejas e os templos religiosos em geral são espaços essenciais, sobretudo nesse contexto em que estamos vivendo”, finalizou.

Trabalho

Maranhão receberá inúmeras benfeitorias do Governo Federal ainda no 1º semestre

Anúncio de obras e ações que compreendem investimentos bilionários no estado foi feito durante reunião entre o deputado federal Aluísio Mendes e o ministro Tarcísio de Freitas

Durante reunião o deputado federal Aluísio Mendes (PSC-MA) foi informado pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas que o Maranhão deve receber várias obras e realizações do governo. Grande parte das ações é de autoria do próprio deputado.
Segundo Tarcísio, ainda no primeiro semestre deste ano deve ser inaugurada a Ponte Santa Filomena, em Alto Parnaíba. A inauguração deve contar com a presença do próprio Bolsonaro.

Além disso, ainda devem ser entregues 13 km pavimentados na BR-226, em Timon. Tarcísio ainda informou o deputado Aluísio Mendes que o primeiro segmento de 1,2 km da travessia urbana de Imperatriz (entre a Ponte do Rio Cacau e o Parque de Exposições).

O trecho da BR-135 entre Bacabeira e Santa Rita, que compreende seis quilômetros, deve ser entregue em abril.
Os leilões dos aeroportos de São Luís e Imperatriz, que devem melhorar absurdamente os serviços aéreos no estado, está marcada para abril e deve acontecer paralelamente com o leilão de quatro terminais portuários no Porto do Itaqui. Os empreendimentos devem atrair bilhões de reais em investimentos para o estado.

“O que observamos é um ritmo de trabalho acelerado e responsável do presidente Jair Bolsonaro e de sua equipe no Maranhão. O governo tem ouvido nossas demandas e trabalhado para melhorar a vida dos maranhenses”, ressaltou Aluísio.

Pandemia

Conheça as novas medidas anti-Covid anunciadas por Flávio Dino

Suspensão de aulas presenciais, redução do horário de funcionamento comercial das 9h às 21h, auxílio emergencial para artistas, punição a municípios que não atingirem metas de vacinação e suspensão absoluta de shows e eventos estão entre as medidas.

Em entrevista na manhã desta quarta (3) o governador Flávio Dino anunciou dez medidas que serão tomadas entre 5 e 14 de março para combater a proliferação da Covid-19 no estado. Segundo o governador, as medidas tem como base critérios e indicadores científicos.

As medidas anunciadas hoje irão seguir dois eixos: o fortalecimento do sistema público de saúde e a diminuição de aglomerações.

As medidas

Entrega de novas doses de vacinas apenas a municípios que comprovarem 60% de aplicação das doses de vacinas das remessas anteriores.

Continuidade da ampliação da oferta de leitos de UTI no estado.

Suspensão absoluta de festas, shows e eventos culturais e empresariais em todo o Maranhão.

Redução do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais na Grande São Luís (Raposa, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e São Luís). O período de funcionamento será limitado das 9h às 21h. Exceções devem requeridas junto à Secretária de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e analisadas.

Suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades compreendendo a rede municipal, estadual e particular. Serão permitidas apenas atividades remotas

Interrupção das atividades presenciais do serviço público estadual, ressalvados as atividades essenciais. Mesmo nos serviços essenciais de pessoas nos grupos de risco serão afastadas, inclusive no serviço privado.

Auxílio emergencial cultural com 1000 vagas e bolsas de R$ 1500.

Mais rigor na fiscalização do cumprimento das medidas sanitárias. Criação de força tarefa com entidades do governo e municípios que irá integrar a fiscalização.

Ampliação da frota de ônibus administrados pelo Governo do Estado.

Assistência

Prefeitura de São Luís entrega cestas básicas a famílias em situação de vulnerabilidade social

Secretário Júnior Vieira coordena Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)

A Prefeitura de São Luís fez a entrega de 200 cestas do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), nesta terça-feira (2), a famílias atendidas pelo Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Bequimão, que abrange ainda os bairros Santa Cruz e Vera Cruz.

A entrega é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa), que está retomando o programa, garantindo alimento saudável às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e incentiva a agricultura familiar. Os produtos distribuídos são comprados diretamente dos agricultores das comunidades de Matinha, Cinturão Verde e Tajipuru e entregue, gratuitamente, para as famílias.

Para esta primeira entrega foram adquiridas oito toneladas de produtos entre frutas e hortaliças, e polpa de frutas. “Hoje estamos iniciando o programa com a efetivação da primeira compra. São oito toneladas de alimentos que vamos entregar para as famílias. Aqui no Santa Cruz, duzentas cestas foram entregues hoje e amanhã serão mais duzentas na região do Monte Castelo e Liberdade. O programa tem hoje 93 agricultores participantes e tem sido fundamental no incentivo da agricultura familiar e da ajuda a muitas pessoas, sobretudo aquelas mais vulneráveis. O prefeito Eduardo Braide tem dado total apoio para o programa e pedido determinação, foco e objetivo para não só fazer da agricultura familiar um exemplo para o estado e nacionalmente. A meta é aumentar o número de agricultores inseridos no programa e desta forma incentivar mais a produção local”, disse o gestor da Secretaria de Segurança Alimentar (Semsa), Júnior Vieira, que coordena o programa.

A cesta entregue para a famílias contém 21 produtos, como abóbora, maxixe, quiabo, cheiro-verde, couve, cebolinha, abacaxi, abacate, melancia, banana, berinjela, batata doce, milho, acerola e polpa de fruta, entre outros. “A gente efetiva a compra desses produtos junto aos agricultores, faz a parceria com a Semcas, que disponibiliza o banco de dados dos seus Cras e beneficiamos famílias que fazem parte do Cras, do Cadúnico, que vivem em vulnerabilidade social e também fazemos a distribuição a instituições que são cadastradas junto a Semsa, que efetivam algum trabalho social e para hospitais”, completou o secretário.

Para ampliar o número de famílias beneficiadas, o volume de compras dos produtos foi ampliado. “Otimizamos o programa em duas compras semanais, de cerca de oito toneladas, antes era cerca de três; para que a gente possa alavancar e incentivar os agricultores que estavam há dez meses sem o programa, já que devia ter sido iniciado em abril do ano passado com duração de um ano”, contou o secretário.

A dona de casa Francisca Aguiar foi uma das primeiras a receber os alimentos e falou da importância da iniciativa. “Essa é uma iniciativa que ajuda as famílias, principalmente neste momento onde muitos perderam suas rendas ou teve a renda reduzida. O dinheiro que a gente iria gastar para comprar esses alimentos já sobra para outras necessidades da família”, disse Francisca Aguiar que mora em uma casa com o marido, cinco filhos e uma neta.

Quem também ficou feliz com o recebimento da cesta foi Vanessa Cunha da Silva. “Ajuda muito na alimentação da família, nesta pandemia que a gente está sem dinheiro, é muito importante porque está muito difícil as coisas”, disse.

O programa tem as parcerias das secretarias municipais da Criança e Assistência Social (Semcas), na identificação dos beneficiários, e de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa).Também é parceira na execução do programa a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes). O PAA, uma iniciativa do Governo Federal, tem como público-alvo pessoas atendidas pela rede socioassistencial e pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional da Prefeitura de São Luís. Além das famílias, os produtos também são entregues em unidades de assistência da Prefeitura.

Participaram da entrega, também, o titular da Semapa, Liviomar Macatrão, os vereadores Dr. Gutemberg, Ribeiro Neto, Concita Pinto, Antonio Garcez e Andrey Monteiro.

Exigência

César Pires diz que falta coragem para tomar medidas contra covid-19

“Fazem uma reunião para discutir o momento grave da pandemia, mas não chamam quem tem base científica e quem vivencia na prática a crise sanitária”, disse César Pires

O deputado César Pires cobrou firmeza do governador Flávio Dino na tomada de decisões para combater o avanço do coronavírus no Maranhão. Para o parlamentar, o chefe do Executivo tenta transferir suas responsabilidades ao reunir dirigentes de outros poderes e prefeitos para decidir sobre a adoção de medidas restritivas mais rigorosas no estado.

“O governador lutou tanto para comprar vacina, mas quando foi autorizado pelo Supremo não comprou nenhuma. Sua contrapartida foi comprar seringas e luvas, e gastar milhões em mídia para dizer o que fez. Pediu o direito discricionário de tomar as atitudes que quisesse e foi autorizado. Mas se acovardou e foi preciso um juiz decretar lockdown para que ele cumprisse”, destacou César Pires.

Lembrando que recentemente Flávio Dino desistiu de adotar medidas restritivas depois de tê-las anunciado, devido à desaprovação de diversos setores da população, César Pires disse que falta cientificidade e coragem política ao governador para tomar as decisões que são de sua responsabilidade, mas ele quer transferir aos demais gestores públicos.

“Fazem uma reunião para discutir o momento grave da pandemia, mas não chamam quem tem base científica e quem vivencia na prática a crise sanitária. Reúnem os que já adotaram suas medidas de segurança, como os tribunais de Justiça e de Contas, e o Ministério Público. Mas não chamam o corpo científico para apresentar a real situação da pandemia no Maranhão. É um governo mambembe, cheio de fracos atores”, criticou César Pires.

Para o deputado, o governador adia a tomada de decisões por covardia, por temer a reprovação popular, por isso promove reuniões para dividir responsabilidades. Paralelamente, como presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, o secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, cobra do governo federal decisões que o governo Flávio Dino não teve a coragem de adotar no estado.

“A pandemia está crescendo, no interior do Maranhão falta testes para diagnóstico da doença, não há estudo sobre a nova cepa por região, não há ajuda às prefeituras e o risco de contaminação só aumenta. Enquanto isso, o governador que desmontou hospitais e desativou leitos não tem coragem de tomar atitude. E as pessoas vão morrendo, vítimas do coronavírus. É o governo da covardia”, finalizou César Pires.

Preocupação

Karla Sarney solicita pavimentação no bairro da Nova República

Vereadora Karla Sarney (PSD) teme que início do período chuvoso prejudique população

A vereadora Karla Sarney (PSD) enviou requerimento de n° 0121/2021, que foi aprovado pela Câmara Municipal de São Luís, solicitando ao prefeito Eduardo Braide (Podemos) e ao secretário municipal de Obras e Serviços (Semosp), David Col Debella, os serviços de terraplanagem e pavimentação asfáltica para ruas do bairro da Nova República.

Segundo Karla, as ruas estão em estado de calamidade e, com o período chuvoso, o problema existente será amplamente agravado. “Precisamos resolver logo esse problema, pois, as chuvas já começaram! E nesse período, os alagamentos são inevitáveis e, consequentemente, as pessoas acabam tendo dificuldades de andarem por essas ruas, e isso é péssimo. Por isso, estou pedindo esses serviços com máxima urgência”, ressaltou.

As ruas, para as quais a vereadora pediu asfaltamento e pavimentação, são Machado de Assis, Bom Jesus, Duque de Caxias e Rua Tancredo Neves, que ficam localizadas no bairro da Nova República.

Covidão

Gestão de Luciano Genésio acusada de desviar milhões da saúde enviados pelo Governo Federal

Prefeito de Pinheiro recebeu R$ 22 milhões para lutar contra pandemia em 2020. Segundo Polícia Federal, pelo menos R$ 1 milhão destes recursos foi roubado falsificando compra de testes rápidos

A gestão do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), é alvo de investigação da Polícia Federal. Membros da Prefeitura de Pinheiro são acusados de forjar uma licitação que desviou cerca de R$ 1 milhão de reais dos cofres públicos.  

Na manhã desta terça (02) agentes da polícia cumpriram 5 (cinco) mandados de busca e apreensão, 04 (quatro) mandados de bloqueios de bens e 01 (um) mandado suspensão do exercício de função pública. A operação aconteceu simultaneamente nas cidades de Teresina/PI e Pinheiro/MA e foi batizada de Estoque Zero.

A suspeita mostra que uma quadrilha usou a o processo nº 2.653/2020 da Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento de Pinheiro/MA pra forjar a compra de 6.000 testes rápidos para o diagnóstico da COVID-19 a um custo de R$ 960.000,00.

Segundo a Polícia Federal a gestão de Luciano Genésio contratou uma empresa de fachada que não forneceu os testes.

ROMBO PODE SER MUITO MAIOR

Segundo dados do Portal da Transparência do Governo Federal, Luciano Genésio recebeu mais de R$ 22 milhões em “Recursos Transferidos para combate à pandemia (COVID19)”. A maior parcela foi, de R$ 13.580.699,00, recebida em setembro.

O município teve, desde o ano passado, cerca de 2300 casos confirmados de infecção na pandemia. Ao dividir-se o número de recursos EXCLUSIVOS para o tratamento destes pacientes, observa-se que Luciano Genésio teve cerca de R$ 10 mil em caixa para cuidar de cada um destes pacientes. Segundo a PF, R$ 1 milhão deste dinheiro foi roubado com compra de testes que não foram entregues. E os outros R$ 21 milhões?

Se confirmadas as suspeitas da Polícia Federal. , os investigados poderão responder por fraude à licitação (Art. 96, inciso I, Lei 8.666/93), peculato (Art. 312, Código Penal), lavagem de capitais (Art. 1º, caput, Lei 9.613/84) e associação criminosa (Art. 288, Código Penal).

A denominação “Estoque Zero” faz referência à inexistência da mercadoria objeto do contrato, tendo em vista que a empresa não possuía sequer uma única unidade de teste rápido em seu estoque na época da suposta venda.

Sanidade

Maranhão não vai entrar em lockdown

Flávio Dino anunciou endurecimento em algumas medidas, mas refutou necessidade de lockdown.

Após reunião com prefeitos da Grande São Luís, Imperatriz, representantes do Judiciário e Legislativo, a direção do Hospital Universitário e da Federação dos Municípios, o governador Flávio Dino (PCdoB) descartou a possibilidade de lockdown no Maranhão.

“O que faremos é uma edição de normas com restrições de certas atividades, inicialmente pelo período de 10 dias, como restrições de grandes aglomerações, eventos que envolvam muitas pessoas, eventos festivos”, anunciou Flávio Dino.

Entre as medidas, a mais impactante é a suspensão do trabalho presencial de servidores públicos por 10 dias. O governador ainda anunciou a expansão de linhas de ônibus. Quem não usar máscaras em vias públicas também será punido.

Outras medidas foram tomadas e serão detalhadas em decreto. Comentário em áudio logo mais no blog.